Autoria: Portal EducarBrasil


Titulo: Causas e consequências do fenômeno El Niño


Corpo do Texto:

No mês de dezembro, uma forte seca assola o Nordeste brasileiro e as ilhas asiáticas ao sul da Tailândia; ao mesmo tempo, uma onda de calor atinge o Japão, e tempestades excepcionais ocorrem no Sudeste da África. A explicação para esses eventos climáticos está na ocorrência do fenômeno El Niño.

A expressão El Niño – “O Menino”, em espanhol – foi utilizada por pescadores do Peru e do Equador para denominar a percepção da presença de águas quentes na costa litorânea do Pacífico, próximo à época do Natal. Por isso, a referência ao “niño” Jesus.

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), o El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical e que pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento em nível mundial, e afetando, assim, os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias (CPTEC, 2010).

O comportamento climático do planeta está relacionado à interação entre a superfície dos oceanos e a baixa atmosfera que está diretamente em contato com a massa de água (sistema oceano-atmosfera). Nessa interação, ocorrem processos de troca de energia e umidade, que, alterados, podem provocar variações no clima terrestre, tanto em escala regional como em escala global. Como em todo sistema, oceano e atmosfera devem ser compreendidos como elementos em interação e, portanto, mutuamente influenciados.

O fenômeno El Niño é um exemplo de uma alteração do sistema oceano-atmosfera na área do Pacífico Tropical, cujos efeitos produzem consequências para o tempo e para o clima de todo o planeta. Nesse fenômeno, associam-se a presença das águas quentes da Corriente El Niño (Pacífico tropical) às alterações na atmosfera próxima à superfície do oceano, demarcada pelo enfraquecimento dos ventos alísios (que sopram de leste para oeste) na região equatorial.

O aquecimento do oceano e o enfraquecimento dos ventos geram alterações na circulação da atmosfera, que irão atuar na modificação dos padrões de transporte de umidade e provocar variações na distribuição das chuvas em regiões tropicais e de latitudes médias e altas. O El Niño pode, ainda, interferir no aumento ou na queda de temperatura em diferentes áreas do globo.

Estudos climatológicos apontam uma periodicidade para a ocorrência do El Niño: o intervalo entre um evento e outro pode alternar entre 3 e 7 anos. Fato é que, em ano de El Niño, o comportamento das temperaturas e das chuvas foge ao que se convencionou por normalidade. As alterações dos padrões climáticos considerados “normais” são extremamente exploradas pelos veículos de imprensa, que, por vezes, atribuem ao El Niño um caráter catastrófico.

As consequências do El Niño podem gerar dificuldades para a sobrevivência humana. O fenômeno de 1997/1998, por exemplo, provocou uma longa estiagem, levando à ruína as colheitas em boa parte do continente africano e asiático.  Contudo, no mesmo período, Garcia verificou a ocorrência de um aumento de espécies de peixes de água doce, na área do estuário da Lagoa dos Patos, localizada em Porto Alegre (Brasil).

A região Sul do Brasil, durante o El Niño, pode ter o volume de chuvas aumentado, superando os índices esperados para os meses de verão. Para Garcia, a intensificação das chuvas em 1997/1998 e o consequente aumento do volume de água dos rios favoreceram o deslocamento de espécies de peixes comuns às enseadas rasas até o local de lagoa no mar. Esse deslocamento permitiu, naquele local, uma pesca excepcional, ou seja, fora da normalidade. 

O El Niño deve ser compreendido como um movimento climático natural no planeta, que pode sofrer alterações frente à intensificação do aquecimento, mas não pode ser controlado pelo homem.

Aos grupos humanos cabe, somente, desenvolver e adotar medidas visando à redução dos impactos negativos do fenômeno, tais como promover ações que protejam as populações frente às prováveis secas, como as que atingem a região Norte e Nordeste do Brasil em ano de El Niño.


Pontos Selecionados:

Amazonas

A cidade de Manaus, localizada sob as coordenadas 3º 06’ 33” S e 60º 01’ 38”O, é a capital do estado do Amazonas. Esse estado detém a maior porção da floresta Amazônica dentre todos os estados brasileiros. Em períodos de El Niño, esse estado fica sujeito a uma forte seca nas regiões Norte e Leste, favorecendo a ocorrência de incêndios florestais que comprometem a fauna, a flora e a sobrevivência dos grupos humanos coletores que vivem na região. Em 2009, a estiagem trouxe como consequência a baixa das águas dos rios e, em algumas casos, como na cidade de Manaquiri, provocou a mortandade de milhares de peixes.

Curiosidades: http://citybrazil.uol.com.br/am/dados-gerais

Mapa: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/mapas/imagens/am_mapa_gde.gif

Bandeira:


Link da Bandeira: http://www.marcosgeograficos.com.br/adm/bandeiras/258d2610e5e6a5f5ae5de3116af5d454.jpg


Ceará

O estado do Ceará, cuja capital, Fortaleza, está localizada sob as coordenadas geográficas 3° 42’ 54” S 38° 32’ 31” O, é integrante da região Nordeste do Brasil e recebe, anualmente, uma significativa incidência de raios solares. Essa região, durante o fenômeno climático El Niño, pode sofrer agravamento da estiagem que leva a seca dos mananciais locais, dizimando as criações e prejudicando colheitas. O conhecimento das consequências desse fenômeno deve mobilizar os governos em prol da execução de ações de combate às consequências de secas prolongadas.

Curiosidades: http://www.ceara.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=23&Itemid=85

Mapa: http://www.mapas-brasil.com/ceara.htm

Bandeira:


Link da Bandeira: http://www.marcosgeograficos.com.br/adm/bandeiras/741b73f6d6455d8dc6d465965eb1712d.png


Estados Unidos

Washington, localizada sob as coordenadas 38º 53’ 51,50” N e 77º 2’ 11,37” O, é a sede do governo dos Estados Unidos. O El Niño, nesse país, pode provocar: o aumento da incidência de neve nas Montanhas Rochosas do Sul e na Serra Nevada; a diminuição da probabilidade de ocorrência de furacões; o aumento da precipitação na região Sudoeste do país, uma área em geral seca.  A observação das consequências do El Niño nos Estados Unidos demonstra que esse evento natural nem sempre gera problemas para as ocupações humanas.

Curiosidades: http://www.buyusa.gov/portugal/pt/informacao_turistica.html

Mapa: : http://www.worldmapfinder.com/Map_Detail.php?MAP=65302&FN=Mad-Magazine-USA-Map.png&MW=8634&MH=5898&FS=4110&FT=png&WO=0&CE=4&CO=21&CI=0&IT=0&LC=9&PG=1&CS=utf-8&FU=http%3A%2F%2Fmappery.com%2Fmaps%2FMad-Magazine-USA-Map.png&SU=http%3A%2F%2Fmappery.com%2Fmap-name%2FMad-Magazine-USA-Map

Bandeira:


Link da Bandeira: http://www.marcosgeograficos.com.br/adm/bandeiras/b72ec1cbce5bc609808bd6f3a7a2fc06.png


Questão Investigativa:

Pesquisas atuais indicam o aumento do aquecimento global do planeta. Alguns cientistas consideram que esse aumento se deve a um fenômeno natural à dinâmica da Terra. O El Niño é um evento natural? Como o aumento do aquecimento do planeta pode influenciar o El Niño?


Competência e habilidade:

Competência:Compreender a importância da Geografia para a análise do mundo contemporâneo, bem como a relação entre a Geografia e as demais ciências.

Habilidade: Analisar as diferentes discussões sobre o mundo contemporâneo, comparando a perspectiva geográfica com as demais (filosófica, histórica, biológica, etc.); Participar de atividades como gincanas e competições, favorecendo o trabalho interdisciplinar; Pesquisar sobre as semelhanças e diferenças entre os espaços e suas transformações no tempo; Criticar a atuação humana como instrumento de transformação espacial.


Anexo: arquivo KMZ


Destaque:

Sites de apoio didático-pedagógico:


Questão Investigativa:

Pesquisas atuais indicam o aumento do aquecimento global do planeta. Alguns cientistas consideram que esse aumento se deve a um fenômeno natural à dinâmica da Terra. O El Niño é um evento natural? Como o aumento do aquecimento do planeta pode influenciar o El Niño?


Atividades para estudantes:

Sugestão docente:

Apresentar aos alunos o vídeo explicativo “Aquecimento anormal do Pacífico”:

http://videoseducacionais.cptec.inpe.br/. Montar uma maquete representativa do “El Niño”, juntamente com os alunos.


Temas transversais:

Meio Ambiente.


Referencias:

http://www.inpe.br/ - Acesso em 28/10/10

http://www.pmel.noaa.gov/tao/elnino/nino-home.html - Acesso em 28/10/10

http://www.climatempo.com.br/ - Acesso em 28/10/10


Resumo:

El Niño é um fenômeno que pode afetar o clima regional e global, alterando os padrões de vento em nível mundial, o que afeta, assim, regimes de chuvas. Saiba mais sobre esse fenômeno e sobre suas consequências para os homens.


Créditos
Link imagem:http://www.marcosgeograficos.com.br/adm/imagem/

Marcos Geográfico


IMPRIMIR